segunda-feira, 27 de abril de 2009

Tradicional versus Positivo

Existe neste momento uma discussão no mundo do treino de cães acerca dos métodos que se aplicam, nomeadamente entre os métodos positivos e os métodos tradicionais. E de facto onde é que existe modificação de comportamento efectiva, onde é que o cão altera de forma fiável a sua atitude perante o estimulo que anteriormente provocava um comportamento não aceitável? Esta é a pergunta e acho que as diferenças são gritantes, mas vamos comparar...



Este video é o bom exemplo de que o cão parece aprender que tem de estar sossegado mas de facto o que acontece é que ele atinge um nível de stress tão elevado (patente na expressão facial do cão ao longo de todo o video) que no final ele entra em "learned helplessness", ele rende-se. Este fenómeno foi estudado colocando animais numa jaula e dando-lhes choques eléctricos repetidos e eles a tentar evitar os choques pulavam, davam dentadas no ar, contorciam-se, ganiam, até que por fim todos acabavam por se encolher a um canto imóveis, mesmo continuando a levar choques, ficando como que adormecidos. Eles sentem os choques, não ficam insensiveis, ficam num estado de desespero que poderemos chamar de "choque".



Este video demonstra o inverso do anterior. Aqui não existe uma imposição de estatudo por parte da pessoa, o que acontece é que se coloca o cão a pensar no modo de obter recompensas e consequentemente em agradar a pessoa, colaborando no treino e oferecendo o comportamento desejado. Podemos treinar qualquer comportamento desta forma, e mesmo parecendo menos imediato que os métodos tradicionais, não é, e os seus resultados são mais fiáveis em termos futuros. O cão depois de associar algo positivo ao corte das unhas nunca mais irá morder uma pessoa que lhas corte, porque isso seria acabar com algo potencialmente gratificante para ele.

Bons treinos!

1 comentário:

Anita disse...

O treino positivo é mesmo espectacular, infalível!
Parabéns pelo blog!