quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Use as suas ferramentas...



AAH, é domingo de manhã e você decide ir dar um passeio com o seu companheiro canino até uma esplanada e ficar a molengar e a ver o mundo passar por si sem se ralar com nada. Senta-se na mesa da esplanada junto ao passeio da rua e o seu plano de domingo de manhã é arruinado porque o seu cão decide aterrorizar todos os amiguinhos de quatro patas que passam pelo passeio.
Você nesta situação começa por tentar chamar o seu cão à razão, dizendo-lhe para se acalmar, sorri para os donos dos outros cães e pessoas da esplanada na tentativa de esconder o seu embaraço, afinal não é nada demais, o seu cão não é perigoso. Depois à medida que a sua frustração aumenta, o tom de voz para com o seu cão também muda, a raiva começa a trepar por si acima. Depois de todos os discursos irritados falharem decide beber o resto do que pediu e levar o seu cão para casa, com o a desilusão de ter um cão que não consegue acalmar-se e comportar-se.

A coisa engraçada é que toda essa cena e todo esse monólogo poderia ter sido evitado se pura e simplesmente tivesse aplicado os conhecimentos de obediência básica do seu cão, ele sabe sentar e olhar?

Por qualquer motivo que desconheço quando estamos perante situações de embaraço temos tendência a esquecer as nossas competências, talvez esteja formatada na nossa cabeça uma aula formal de obediência, e não fazemos a transição para situações do dia-a-dia onde podemos aplicar essas mesmas ordens de obediência básica.

Este post serve para lembrar exactamente isso, um comando de obediência básica tem várias aplicações, não é apenas para demonstrar o nosso controlo sobre o cão, serve para o dia-a-dia.

Com isso em mente aqui fica a chave da criação de um cão bem educado que podemos levar connosco a qualquer sitio, afinal é esse o sonho que qualquer pessoa que goste verdadeiramente de ter um cão.

O primeiro passo é construir uma boa base através da obediência básica com: senta; deita; de pé; olha; junto e anda. Podem ser muitos mais, mas com estes já terá muito por onde trabalhar.

O segundo passo é... usá-los!!! Use o que treina como uma utensilio para a comunicação e como base para as boas maneiras. Cada vez que não gosta do que o seu cão está a fazer peça-lhe algo aceitável nessa altura... é tão simples quanto isso. Um bom exemplo é o saltar para cima das visitas... uma boa maneira de acabar com isso é pedir um senta para receber atenção do dono e das visitas... não precisamos de treinos xptos, precisamos de compartamentos aceitáveis que substituam os comportamentos inaceitáveis nas mesmas alturas do dia-a-dia.

O terceiro passo é fazer tudo isto em todas as sdituações de interacção com o seu cão nos mais diversos cenários do dia-a-dia, acabando por se tornarem uma rotina e um hábito.

Bons treinos!

2 comentários:

Claudia Estanislau disse...

excelente post vou divulgar no FB!

José Dores disse...

Obrigado Claudia... estou a espera do telefonema... hehehe!