quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Campainha da porta!!! WOOOFF! WOOOF!

Existem muitos cães com reacções exuberantes à campainha de casa. Muitos até reagem com muito entusiasmo a campainhas de casa na televisão. Não interessa onde seja uma campainha de casa, para alguns cães, é algo para ficar completamente doido! Não é interessante que raramente encontramos cães reactivos desta maneira a campainhas de telefones!? Porque será?
Como costume encontramos as respostas para as nossas questões quando olhamos para a situação pela perspectiva do cão. O que acontece quando a campainha de casa toca? A experiência que o cão tem desse som é que ele precede a abertura da porta e do outro lado da porta estará ou um estranho (para o cão) ou uma pessoa conhecida cuja chegada excita o cão. Se o cão é ainda cachorro, quando isto começa a acontecer, é muito provável que se aproxime um momento de grande excitação, porque toda a gente vai querer fazer-lhe festas, brincar com ele, etc.
Sempre que isto acontece, o cão vai ficando mais excitado cada vez que a campainha toca, antecipando aquilo que se aproxima. Algumas vezes fica tão excitado que todo o cenário muda radicalmente. De um momento para o outro o seu dono fica incomodado com o seu comportamento (agora que já é adolescente e tem 20 ou 30 Kg), e pelo facto de saltar para cima das visitas coisas que sempre foram recompensadas. Mas nesta fase já houve uma aprendizagem e a energia demonstrada pelo cão é muito alta nestas situações, para o cão a campainha prediz eventos excitantes e recompensantes.
Então e a campainha do telefone? Na maioria das casas o telefone toca mais vezes do que a campainha da porta. Quando o telefone toca... NÃO ACONTECE NADA PARA O CÃO! Não aparece nada de novo, ninguém dá atenção ao cão, ninguém fala ou grita para ele. Por isso a campainha do telefone não prediz nada, pelo que não vale a pena prestar-lhe qualquer atenção. Então e se a campainha da porta tocasse ao longo do dia e nada acontecesse? E se a campainha da porta tocasse e não aparecesse ninguém à porta? A campainha toca e toda a gente continua a fazer aquilo que está a fazer, ninguém vai à porta, ninguém aparece e ninguém fala ou dá atenção ao cão... nada acontece.
No inicio, se for um cão esperto, reagirá como sempre o fez, ou até o fará com mais entusiasmo, para ver se os humanos deixam de estar distraídos...AFINAL A CAMPAINHA TOCOU MALTA!!! EU NÃO QUERO SER CHATO MAS A CAMPAINHA TOCOU!!! VÁ LÁ PESSOAL TÃO SURDOS OU QUÊ???!!!
E se uma e outra vez ninguém reagisse e nada acontecesse? Eventualmente reagir a algo que resulta em nada torna-se uma perda de tempo e energia. A campainha da porta torna-se em algo parecido com a campainha do telefone... é irrelevante... de vez em quando alguém aparece do outro lado.
Haverão ainda alturas em que a campainha da porta produzirá uma pessoa do outro lado da porta. E ai vamos nós outra vez....! Mesmo se a campainha produzir resultado uma em cada 50 vezes, ainda assim vale a pena esperar. O problema aqui é que o cão continua na expectativa, quando aparecer alguém à porta ele vai fazer ainda pior.
Mas se o dono, cada vez que a campainha tocar, disser "senta" e recompensar isso!? BOA! Cinco vezes por dia o cão ouve a campainha, depois "senta" e recebe uma recompensa. De vez em quando recebe o bonus de alguém do outro lado da porta.
Vamos fragmentar este evento... a campainha seguida de reactividade ou seguida de nenhuma reactividade é igual a nada. A campainha seguida de um "senta" é igual a uma recompensa e à possibilidade de uma pessoa do outro lado da porta. A coisa lógica para o cão é sentar-se sempre que tocar a campainha da porta para assegurar que alguma coisa boa aconteça.
Poderá estar a perguntar-se, "Mas se o cão não reage à campainha do telefone porque nada acontece porque é que eu tenho de lhe dar uma recompensa pelo "senta" com o som da campainha da porta para manter o comportamento? Não poderia apenas não fazer nada?" Poderia não fazer nada quando a campainha da porta toca, mas nalguma das vezes alguém estaria do outro lado da porta. Com o telefone é garantido que nada vai acontecer na perspectiva do cão, a não ser que o telefone toque e a casa comece a arder... mas em principio isso raramente acontecerá... hehehe!

Bons treinos!

4 comentários:

Casa do Pinhal disse...

José, eu adoro o teu blogue; tens o dom de explicar de forma simples os conceitos mais importantes do treino. Explicas de forma que todas as pessoas entendem e sentem que estás a falar para elas. Isso é maravilhoso! É a forma de divulgar o treino positivo e fazer as pessoas entenderem que o melhor para o cães e para elas.
Só tenho um pequeno reparo a fazer: por favor, verifica a ortografia, sim? É que os erros gramaticais ficam tão mal em textos tão bons!
um abraço
Inês

José Dores disse...

Olá,

Desde já agradeço os seus elogios, é isso que tento fazer, sempre que escrevo tento escolher um assunto de fácil percepção.
Em relação à gramática é de facto um flagelo ao português... mas vou levar muito a sério o que disse e ter mais cuidado com essa questão daqui em diante.

No outro dia andei a ler o que escrevi em 2009 e reparei que dou muitos mais erros que julgava... muito obrigado pelo seu comentário.

José

Otavio Luis disse...

Parabéns Brother.
Ótimo texto.
Quanto aos erros, não percebi nada...sou do Brasil..rsrsrs
Abraços.

José Dores disse...

Olá,

Pois entretanto tive oportunidade de os corrigir e agradeço uma vez mais o reparo da Inês, foi tê-lo em consideração sempre que colocar um post.

Obrigado.