terça-feira, 20 de julho de 2010

O primeiro mês do cachorro em casa.

Os cachorros são fabricados para serem fáceis de socializar (são animais sociais). Os cachorros vão ter com toda a gente para interagir e todos querem festeja-los por isso.

Quanto mais pessoas o seu cachorro conheça e seja simpático para ele mais vai gostar de pessoas em adulto. E mais ainda, quanto mais for manuseado e recompensado por pessoas mais gostará de ser manuseado por crianças e por veterinários.

O período critico de socialização acaba aos três meses de idade!! Esta é a fase de desenvolvimento crucial em que os cachorros aprendem a aceitar e a apreciar a companhia de outros cães e pessoas. No entanto a sua primo vacinação não está concluída o seu esforço precisa de ser maior ainda, uma vez que esta socialização necessita de ser feita de forma controlada e segura. O Dr Ian Dunbar estabelece como objectivo o cachorro conhecer 100 pessoas no primeiro mês em casa.

Se ficar pelo caminho não faz mal é um objectivo bastante ambicioso.

Bons treinos!

3 comentários:

olare disse...

Entendo que seja até aos 3 meses a idade da socialização de um cão, mas quando o adoptamos após essa idade e ele foi maltratado e tem medo de pessoas?
Neste momento o Sam(cão) tem 10 meses e continua a ter muito medo de pessoas e não sabemos como remediar este problema.

José Dores disse...

Olá,

A perspectiva que tem de ter é que não tem um cão que partiu do zero... não está a trabalhar uma tela em branco, está a trabalhar uma tela suja, mal feita que tem de arranjar de forma a pintar um quadro bonito... está a partir do menos cinco ou do menos dez. Então estabeleça objectivos concretos e atingíveis, faça uma revista mental das situações que a preocupam e procure ajuda de um treinador de cães... na minha opinião um treinador positivo, que saiba tirar o mais possível de técnicas de treino baseadas em associações positivas porque é de facto o que o seu cão precisa... o seu cão não está estragado e o seu comportamento tem solução, precisa apenas de mais dedicação dos donos que o habitual.

Bons treinos!

olare disse...

Muito obrigada pelos conselhos. Penso que talvez nós também, de certa maneira desconhecedores, temos confiado pouco no Sam.
Já percebemos que ele fica menos assustado se (em espaços de certa forma limitados) andar sem trela, é como se ele estivesse mais capaz de aproximar-se ou recuar das pessoas se quiser.
Se trabalho e persistência for sinónimo de "recuperar" o Sam estaremos lá. Nunca iremos desistir. Mais uma vez obrigada.