domingo, 15 de fevereiro de 2009

Educar o auto-controle

Um dos problemas mais desgastantes para os donos de cães é a excitação constante ou momentânea de alguns cães em determinados momentos. É muito frequente na altura de levarmos o nosso cão à rua ele, assim que suspeita do passeio, comece numa excitação desenfriada, pulando, ladrando, arranhando... ao ponto de demorar uns bons minutos a por a trela e a sermos espremidos pela porta de saida por termos a trela na mão e o cão leva-nos atrás com toda a força.
Bem o cão está contente mas se isto se torna desgastante para a relação cão/dono deve ser algo a mudar porque senão torna-se num problema.
O que podemos fazer é castigar negativamente o cão. O que castigar?? O que é isto de castigar negativamente? Bem no treino utilizam-se os termos castigo positivo (dar um puxão, dar uma palmada, gritar com o cão, etc.) no qual ensinamos o cão a evitar a situação de maneira a evitar o castigo... algo que sou completamente contra... e existe o castigo negativo ( não dar a comida enquanto não se sentar) no qual nós retemos a recompensa até o cão exibir o comportamento esperado.
Se numa situação de saida de casa o cão começa a pular, a ladrar, etc., não colocamos a trela nem saimos de casa até ele se sentar (por exemplo) e calar, de preferência pedimos um senta para a trela e outro para sair da porta de casa.
Este tipo de treino de auto-controle atinge o seu ponto máximo se for feito no máximo de situações possiveis. Por exemplo vai dar comida ao cão peça-lhe para se sentar e quando o fizer dê a comida. Chega a casa ele fica maluco, não faça festas até ele se sentar à sua frente. Vai passar para dentro de casa do quintal, peça um senta antes de passar a porta.
Tudo isto para além de ensinar ao cão auto-controle aumenta a sua posição hierárquica e consequentemente o seu controle sobre o cão.

Não é preciso gritos nem castigos fisicos, basta paciência e inteligência.


video

Sem comentários: